Promotores

El contenido de esta página no será traducido a este idioma

Promotor

Universidade da Beira Interior (UBI)

Pedro Dinis Gaspar | dinis@ubi.pt | 275 242 055

Faculdade de Engenharia,

Calçada Fonte do Lameiro, 6201-001 Covilhã

A UBI é atualmente uma instituição de ensino superior público de referência nacional e internacional, aos níveis do ensino, investigação e desenvolvimento, inovação e empreendedorismo. Com uma aposta constante numa formação sólida nos mais diferentes saberes, a UBI conta com uma oferta diversificada de cursos desde o 1º ciclo (licenciaturas) ao 3º ciclo (doutoramento) distribuída pelas cinco faculdades: Faculdade de Ciências, Faculdade de Engenharia, Faculdade Ciências Sociais e Humanas, Faculdade de Artes e Letras e Faculdade de Ciências da Saúde.

A UBI tem-se centralizado sobretudo no estabelecimento de uma cultura de avaliação como elemento crucial de promoção da qualidade; na adoção do mérito científico e pedagógico como critério principal de dignificação das carreiras de docência e de investigação; no fomento da interdisciplinaridade e cooperação interinstitucional como ferramenta de criação de valor; e, na garantia do acesso ao ensino superior e aprendizagem ao longo da vida.

A UBI assume enquanto missão a promoção de uma qualificação de alto nível e a produção, transmissão, crítica e difusão de saber, cultura, ciência e tecnologia através do estudo, da docência e da investigação.

Co-Promotores

Universidade de Évora (UÉvora)

Miguel Elias | elias@uevora.pt

A Universidade de Évora foi a segunda universidade a ser fundada em Portugal. Após a fundação da Universidade de Coimbra, em 1537, fez-se sentir a necessidade de uma outra universidade que servisse o sul do país. A inauguração solene decorreu no dia 1 de Novembro de 1559. Ainda hoje, neste dia se comemora o aniversário da Universidade, com a cerimónia da abertura solene do ano académico. Em 1973, por <a href=”http://dre.pt/pdf1sdip/1979/12/28700/32293229.pdf”>decreto</a> do então ministro da Educação, José Veiga Simão, foi criado o Instituto Universitário de Évora que viria a ser extinto em 1979, para dar lugar à nova Universidade de Évora. Hoje, a Universidade de Évora instala-se num largo espectro do conhecimento, no qual oferece cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento; mas também cursos informais que visam a reciclagem de conhecimentos e garantem a formação ao longo da vida à população laboral e aposentada. Mercê de se ter submetido à avaliação internacional, a Universidade de Évora faz hoje parte integrante da Rede Europeia de Ensino Superior e de Ciência e os seus diplomas são reconhecíveis e validados. Através do Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo, a Universidade de Évora procura ser um parceiro das empresas aqui sediadas, incentivando-as a inovar produtos e métodos e a melhorar a sua competitividade. Com as artes, as humanidades, as ciências e as tecnologias a Universidade de Évora prossegue a viagem do passado para o futuro.

Instituto Politécnico de Castelo Branco
Escola Superior Agrária (IPCB/ESA)

Luís Pinto de Andrade | luispa@ipcb.pt

O Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) é uma instituição pública de ensino superior, cuja cultura institucional se caracteriza pela riqueza proveniente da diversidade e singularidade próprias de cada uma das seis escolas que o constituem (Agrária, Artes Aplicadas, Educação, Gestão, Saúde e Tecnologia). O IPCB estrutura a sua missão em três pilares estratégicos: a formação graduada e pós-graduada, a investigação científica e tecnológica e a prestação de serviços especializados, designadamente, numa lógica de proximidade, com empresas e instituições da envolvente regional.

No domínio investigativo, é de sublinhar a experiência institucional acumulada em diferentes programas de financiamento, como os da Fundação de Ciência e Tecnologia, o Portugal 2020, o Programa Operacional do Centro 2020 e os programas de cooperação territorial, como o POCTEP ou o Interreg Sudoe, bem como, a nível comunitário, o Horizonte 2020.

Instituto Politécnico de Coimbra
Escola Superior Agrária (IPC/ESAC)

João Filipe Marques Gândara | jfg@esac.pt

O Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) foi criado em 1979, no contexto da implementação do ensino politécnico em Portugal. Apesar da sua história recente, o IPC herdou a tradição e a experiência de importantes escolas, que passaram a integrá-lo e que contribuem para que possa afirmar-se hoje como uma das mais importantes instituições de ensino superior público em Portugal. As Unidades orgânicas de Ensino que integram o IPC são: a Escola Superior Agrária de Coimbra; a Escola Superior de Educação de Coimbra; a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital; a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra; o Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra. Atualmente, o IPC conta cerca de 10.000 estudantes, 616 docentes e 375 funcionários não-docentes.

Instituto Politécnico da Guarda (IPG)

Teresa Paiva | tpaiva@ipg.pt

O IPG, através das suas cinco unidades orgânicas, quatro Escolas Superiores, Educação, Comunicação e Desporto (ESECD), Tecnologia e Gestão (ESTG), Saúde (ESS) e Turismo e Hotelaria (ESTH) e unidade de investigação, Unidade de Investigação para o Desenvolvimento do Interior (UDI), tem-se definido como sendo um pólo de conhecimento e inovação que procura a qualidade e rigor de formação. Uma prática de melhoria contínua tem sido uma preocupação permanente deste Instituto, que procura assegurar a qualidade de formação e dos serviços prestados, bem como a satisfação da comunidade académica e correto funcionamento de toda a instituição. Desenvolve, também, atividades nos domínios da investigação, da transferência e valorização do conhecimento científico e tecnológico, da prestação de serviços à comunidade, de apoio ao desenvolvimento e de cooperação em áreas de extensão educativa, cultural e técnica. Deste modo, o IPG desempenha um papel decisivo na qualificação dos recursos humanos, em diversas áreas do saber, na sua esfera de competências, bem como no desenvolvimento económico, social, científico e cultural da região da Guarda

Neste âmbito, o IPG pretende ser reconhecido como entidade imprescindível para o desenvolvimento regional, em que os profissionais formados na instituição se distinguem pela sua competência profissional, o seu sentido de solidariedade, a sua capacidade de servir responsavelmente a sociedade e com atuação ética no trabalho, gerando conhecimento e uma presença cultural que contribua para a solução dos problemas regionais, num contexto global.

O IPG vem projetando uma articulação crescente com instituições congéneres internacionais, possibilitando a mobilidade docente e discente, bem como partilha de competências e saberes na formação e em projetos a desenvolver nas principais áreas de atuação da Instituição.

Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC)

Rita Pinheiro | ritapinheiro@estg.ipvc.pt

Criado em 1980 por Decreto-Lei 303/80 de 16 de Agosto, o Instituto Politécnico de Viana do Castelo [IPVC] encontra-se inserido no Alto Minho, território em que a ocupação e as atividades humanas se desenvolvem numa tradição de valorização dos recursos naturais. O IPVC tem como objetivo prosseguir, através das suas seis Escolas, a formação humana, cultural, científica, técnica e profissional de qualidade, realizar a investigação necessária e adequada à prossecução da sua missão e cooperar com a comunidade regional, particularmente no seu tecido produtivo e empresarial, numa perspetiva de permanente diálogo e valorização recíproca.

Na rede do Ensino Superior do Alto Minho, o Instituto Politécnico de Viana do Castelo é a entidade que dispõe de maior oferta formativa. Para além de Cursos Técnicos Superiores Profissionais [CTeSP], ministra cursos superiores, entre os quais, Licenciaturas, Pós-Graduações e Mestrados (vários em cooperação com universidades estrangeiras e nacionais).

Em janeiro de 2013, a Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior [A3ES] certifica o SGGQ-IPVC por um período de seis anos, tendo sido o primeiro Politécnico, a nível nacional, a possuir “esse reconhecimento” pela A3ES.

Uma forma de diferenciação e de consolidação do IPVC é a sua preocupação constante na qualidade, quer de formação, quer de infraestruturas, em detrimento do simples crescimento. Para além das atividades de ensino/aprendizagem, que constituem o seu principal objetivo, o Instituto Politécnico de Viana do Castelo desenvolve, ainda através das suas Escolas Superiores, outras ações nos domínios investigação e desenvolvimento, prestação de serviços à comunidade, constituição de parcerias nacionais e internacionais e outras ações de índole cultural. Apesar da sua ainda curta existência, são já inúmeros os Projetos desenvolvidos por esta oficina, quer nacionais, quer internacionais, muitos dos quais coordenados pelo IPVC.

Os novos desafios resultantes da globalização conduzem o IPVC a uma adaptação à realidade e à dinâmica das novas sociedades, num espaço de crescente intercomunicação e sofisticação de mercados.

InovCluster – Associação do Cluster Agro-Indutrial do Centro

Cláudia Domingues Soares | claudiadomingues@inovcluster.pt

A InovCluster – Associação do Cluster Agroindustrial do Centro, tem sede nas instalações do Centro de Apoio Tecnológico Agro Alimentar em Castelo Branco e visa contribuir para o aumento da competitividade dos sistemas produtivos locais e regional e para a afirmação da Região Centro de Portugal ao nível nacional e internacional. Para isso, estabelece uma plataforma de concertação entre os principais atores deste sector, e apoia as empresas em processos de inovação, IDT, transferência de conhecimento, formação, desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos, marketing e internacionalização.

Conta, à data, com 178 associados, dos quais 143 empresas, e entidades como: Associações/Cooperativas, Instituições de Ensino Superior, Instituições de I&amp;D ligados ao sector agroindustrial e agroalimentar e vários municípios da região Centro. A InovCluster tem sido apoiada pelo Município de Castelo Branco. É reconhecida internacionalmente como um Cluster de Excelência desde 2015, ano em que lhe foi atribuído o selo Gold Label, pela ESCA.